terça-feira, 12 de abril de 2016

[Análise] Junho 2015

Análise dos dados coletados no mês de Junho dos produtos que compõem a cesta básica

Os itens que mais sofreram variação em seus preços foram: a margarina (250g), que apresentou um reajuste de 252,1%, cujo preço mínimo foi de R$ 1,19, e o máximo de R$ 4,19. Em seguida veio o açúcar (kg) que apresentou um reajuste de 167,78%, cujo preço mínimo foi de R$ 1,49, e o máximo de R$ 3,99. Em terceiro à farinha apresentou-se um reajuste de 109,2%, cujo preço mínimo foi de R$ 2,39, e o máximo de R$ 5,00. Em quarto o café em pó (250g) com reajuste de 98,79%, cujo preço mínimo foi de R$ 2,49, e o máximo de R$ 4,95.

Já os produtos que tiveram uma variação menor nos preços foram: o pão (kg) com variação de 34%, cujo preço mínimo foi de R$ 5,00, e o máximo de 6,70. Em seguida o leite integral (litro)com variação de 38,6%, cujo preço mínimo foi de R$ 2,45, e o máximo de R$ 3,99. Em terceiro à carne (kg) com variação de 42,25%, cujo preço mínimo foi de R$ 17,99, e o máximo foi de R$ 25,59. Em quarto apareceu o tomate (kg) com variação de 57,14%, cujo preço mínimo de R$ 3,50, e o máximo de 5,50.

Fonte Própria
Comparando a variação percentual dos preços do mês de maio de acordo com os produtos que mais variaram no mês de junho, as variações da margarina (250g) e da farinha diminuíram em junho. A da margarina caiu de 261% em maio para 252% em junho, e a da farinha de 128% para 109%. As variações do açúcar (kg) e do café em pó (250g), por sua vez, aumentaram. A do açúcar subiu de 75% em maio para 168% em junho, e a do café de 66% para 99% em junho.

Já os produtos que apresentaram uma menor variação nos preços deste mês (junho), em relação a maio, as variações do pão (kg) e do leite integral (litro) diminuíram em junho. A do pão caiu de 40% em maio para 34% em junho, e a do leite integral de 78% para 39%. Já as variações da carne (kg) e do tomate (kg), aumentaram em relação a junho. A da carne subiu de 35% em maio para 42% em junho, e a do tomate, de 41% para 57% em junho.

Os itens que mais sofreram variações nos preços foram: A margarina, seu aumento é decorrente do fato que uma das margarinas pesquisadas é indicada para pessoas que necessitam reduzir o nível de colesterol ruim do organismo, fazendo com que esse produto apresente um diferencial e tendo como consequência a elevação do seu preço. O café em pó e a farinha têm um fator em comum para o aumento do preço, a época atual não é favorável para o plantio desses produtos, com a falta de chuvas, o produto torna-se escasso, consequentemente, eleva-se o preço. O açúcar também apresenta problema de plantio, no caso a cana de açúcar, relacionado à falta de chuvas o que ocasiona o seu aumento de preço, mais também problemas de distribuição, onde há pouco produto o preço ele é elevado para suprir a sua falta no mercado, no municio de Patos-PB, o mesmo não estava bem distribuído.

Já os produtos que tiveram uma menor variação, o pão ele tem seu amento por causa do trigo que está mais caro por ser importado, uma vez que o real segue desvalorizado. Além disso, a produção nacional de trigo está menor e os aumentos das tarifas de água e luz também contribuíram para o aumento do pão francês. O leite segue em alta pelo quarto mês consecutivo, devido ao período de entressafra, que é período entre uma colheita e a colheita seguinte do mesmo período.  A carne apesar da pressão dos frigoríficos para diminuir o preço, a oferta de carne continua restrita, pelo aumento da exportação e pelos altos custos de reposição de bezerros, o que mantém os altos patamares de preço. Por ultimo o tomate, e com sua colheita da safra de inverno começou a abastecer o mercado, houve redução no preço do fruto.

0 comentários:

Postar um comentário